Sobre Leis e Salsichas

Os cidadãos não poderiam dormir tranquilos se soubessem como são feitas as salsichas e as leis. Em 1889, Otto Von Bismarck, Chanceler Alemão, cria o instituto de previdência social da Alemanha. Não o fizera, porém, por vontade própria, e sim com o intuito de obter apoio político das classes trabalhadoras.

Passados 101 anos, porém, a Alemanha, às voltas com o crescente número de beneficiados e com o caixa desse instituto já fazendo água, resolve rever as condições de assistência, pensão e aposentadorias previdenciárias do povo alemão. O Brasil, que tem seu instituto previdenciário criado na década de 30, hoje, passa por situações iguais ou piores ainda do que a Alemanha.

Pressuposto, as instituições alegam o rombo na previdência social pelo envelhecimento populacional, isto é, o desaguamento dos colaboradores da previdência social. Contudo, o Brasil é uma nação arborizada em juventude. Por exemplo, um em cada quatro japoneses estão em faixa etária de benefício previdencial, em contrapartida, oito em cada 100 brasileiros têm possibilidade deste benefício, segundo a OCDE.

O desemprego é altivo no Brasil, desta maneira muitos impossibilitaram-se de contribuir para previdência. O cerne da crise é o establishment. Aliás, um povo se desqualifica por vontade própria? O Brasileiro é desnutrido de educação e saúde do norte ao sul, e a culpa da recessão econômica é somente das instituições e do establishment, ninguém mais pode pôr seu pescoço na forca pelos devaneios do establishment. Além disso, empresas como Vale, JBS, Bradesco, Caixa Econômica Federal e Marfrig juntas devem à previdência social R$ 3,9 bilhões. Há uma fiscalização ineficiente na previdência social. Cerca de R$ 370 bilhões, essa é a total dívida de todas as empresas para com a previdência.

Com uma legislação tributária inócua, essas empresas riem de barriga cheia dos desnutridos brasileiros, e protelando suas dívidas na taciturna justiça brasileira. No final o mau-caratismo e sub-reptício predomina, e como disse Thomas Malthus “Para sempre os ricos, por combinações abusivas, contribuem frequentemente para prolongar a temporada de angústia entre os pobres”.

Todavia, rombo na previdência é prejudicial para os investimentos prioritários, e nada é tão escasso para o Brasil quanto a saúde, educação e segurança. Em suma, as sonegações tributárias e as isenções nos diversos setores econômicos, como o agronegócio, micro e pequenos empreendedores e entidades filantrópicas, são as causas prejudiciais à economia brasileira, pressuposto, para que o rombo da previdência social pudesse estabilizar-se seria necessário o pagamento tributário das empresas devedoras, também que alguns setores deixassem de ser isentos. De quando em vez às instituições cogitam tais reformas, enquanto isso o Brasil afunda-se em si mesmo. Uma reforma é necessária, mas como disse o próprio Otto Von Bismarck “Os cidadãos não poderiam dormir tranquilos se soubessem como são feitas as salsichas e as leis”.

Imprimir

Compartilhe:

Foto de perfil de Nathan Rioski Braz

Nathan Rioski Braz

Interesses: Especialmente Epistemologia e metafísica, porém, nunca deixando de lado ciências sociais e a psicanálise.

Pular para a barra de ferramentas