Relógio

Relógios despertam, mas não são promíscuos; despertam por saber que essa sua função é de berço, despertam com a intenção de levantar teu corpo – ressuscitar tua carne adormecida – despertam para uma função, uma ocasião, para um ato. Não despertam somente por alarmar.

Relógios são pontuais, são decisivos. Fazem-lhe estar no momento que almejou chegar. Entre as horas marcadas e o desejo de encontrá-la, se manifestam os ligamentos dos ponteiros do momento. Existe a edificação do objetivo, ato, encontro, movimento físico para a batida do ponteiro.

Ao avesso de humanos que não são relógios, porém, despertam planos que os mesmos não são capazes de cumprir, despertam vontades cujas forças são pobres em organização e planejamento mantidas sob o efeito de um realizar falsificado que deixam ser alarmados, desconstruindo a incapacidade dos seus planos, por estarem fora da sua própria pontualidade.

Ao ponto que quebram, recusam-se a ser consertados, tornam-se relógios sem função, não a tempo que passe, a hora é a mesma em tempos diferentes. Mesclam-se ao comodismo do momento: – depois eu farei, amanhã será hoje, com certeza! Porém, nada se projeta nessa desejável vontade de locomover-se se você, senhor relógio quebrado, não exige de si o próprio um conserto. Não será os “Big-Bens” da vida que lhe conduzirão a movimentar-se

Muitos não permitem-se se tratar, tornando-se debilitados os seus ponteiros; não se dão a opção de ser permissivos e arrebatadores e param de tiquetaquear. Arrastam as suas pernas de ponteiros, para um alcance, porém sem ser consertado, isso se mantém impossível.

Contorce-se dentro da sua estrutura e morre. Em uma sociedade de ponteiros desfrouxados, fazer calar e desacelerar no tempo, é extinguir a rotatividade dos seus objetivos, fazer o tempo voar é abrir as asas do movimento objetivado.

Não se constrói um império, seja ele uma sociedade sentimental ou uma sociedade de ganhos abstratos (materiais), com ponteiros deficientes, não há importância da peça, seja você um mero relógio de cuco, ou um Rolex, ambos servirão e saberão se usar se souberem de suas utilidades, o processo de ganhos ou conquistas não se deleita na arquitetura do seu ser, mas sim no interno dos seus atos.

Imprimir

Compartilhe:

Foto de perfil de Myra Soarys

Myra Soarys

Intensa. Provocadora e sabe o quer. Adora Literatura de cordel e música boa. É pintora e desenhista. De personalidade forte. Um pouco impaciente. Expõe seus pensamentos. Os mais sadios e os mais doentios.

Pular para a barra de ferramentas