O Economicismo e a Reação Social Contra o Golpe

Lênin, em seus textos a respeito de resoluções políticas na Rússia Czarista, atribuiu a uma categoria de luta dos sociais democratas de sua época por via sindical, de economicismo, sendo assim o conjunto de teorias e ações, materializadas na práxis cotidiana que representassem a consolidação de direitos trabalhistas, neste período histórico anterior a Revolução Russa, data-se da paulatina introdução do capitalismo no país a partir de empréstimos concedidos pela Alemanha e Inglaterra aos monarcas russos com o fim do desenvolvimento industrial nacional.

Contudo a taxa de impostos para tal e o abuso das novas leis trabalhistas, que impunha o intenso labor aos trabalhadores, provocara indignação por parte de uma população na qual não via vantagens neste novo processo econômico do país, para tal os Bolcheviques organizaram e divulgaram no jornal clandestino, o Iskra, as medidas contrárias aos abusos patronais e as convocações de greves, sendo incluso nas folhas do jornal as revindicações salariais e condições dignas de trabalho, ressalvando textos a respeito do socialismo.

Diferente de tal contexto e estrutura social, após um período de renovação econômica do país e perante a crise conjuntural do processo de produção de capital, ocasiona-se a inserção de um governo interino que por via de solução da crise assume a postura de cortes de gastos públicos, incluindo critérios da seguridade social de trabalhadores, este Estado de exceção, composto em sua gestão pública, caracteriza-se por grande número de parlamentares que defendem a revisão de artigos da CLT, nas quais devem ser modificadas as leis de trabalho.

Episódio recente, em reunião do Conselho Nacional de Indústrias, representantes deste setor social, sugeriram para a solução da crise financeira, o adicionamento de quatro horas diárias da jornada de trabalho, com o fim de se produzir mais capitais sem o aumento proporcional remunerativo dos trabalhadores, além de que o salário mínimo pode ser restabelecido, a partir de novas regras já discutidas em pautas do senado, o senador Aloysio Nunes do PSDB-SP, já propunha medidas no senado de cortes de direitos trabalhistas.

A atual esquerda, representada pela social democracia moderada, na qual trabalha na perspectiva na conciliação de classe, optou pela via parlamentar de luta política, perdendo nesta disputa por meio dos votos, devido ao fato de ser composição minoritária no congresso, os processos legislativos ali travados repercutem na sociedade civil e diz direito a ela, portanto torna-se necessário para a recomposição das esquerdas e para o seu retorno de papel representativo dos trabalhadores na luta de classes, a atuação sindical, sindicatos que por vezes tornaram-se em “propinatos” devem apontar medidas contrárias a este governo anti-trabalhista em que por via de reação pode utilizar-se de uma greve geral e diálogo direto com ás massas, para que faça um embate político com esta atual gestão e mova a população em prol de seus objetivos.

Imprimir

Compartilhe:

Pular para a barra de ferramentas