Minha morte é mais viva que minha própria vida

Ao me enterrarem respirei mais que quando meus pulmões eram vivos. Ao me enterrarem fui intitulado algo bom, eu lutava em ser exemplo em vida, não em morte. Quando minhas veias pulsavam dentro da minha carne, nada fui do que vazio, do que… O nada… O insignificante ser qualquer, que sugava o ar por sugar.

Eu sabia ocupar um espaço neste mundo, meu corpo vagava, realizava atos, produzia feitos e efeitos, danosos ou não, loucos ou sadios. Essa mistura, esse balde cheio de mim, somente concluiu que minha morte começou a viver e a minha vida começou a morrer. Que o sentido das duas amigas (morte e vida) andam trocados. Alguns seres humanos somente nos enxergam quando vestimos o famoso paletó de madeira. E foi nesse fator que morri…

Morri para viver e ser notado precisei descansar meu corpo para ser de melhor índole. Morri para ser alguém, para ser o melhor na balança da vida dos outros.

Triste cogitar em mim que invisível, eu me tornei visível. Que eu preenchia as bocas vazias das pessoas junto com adjetivos e qualidades que nunca escutei em vida. Triste pensar que os vejo lacrimosos por minha falta, e que naqueles dias que eu me sentia vazio de não ter a presença dos mesmos, esses se debruçam sobre mim, agora souberam me procurar no obituário.

Meu corpo parado… Será esse movimento que os fazem chegar a me alcançar?

Será essa paralisia, que os fez saírem da sua própria paralisia?

Mas eu nunca corri de ninguém, nunca deixei alguém me desocupar. Porém percebi que o ser humano não exige isso de si, não exige o importar-se quando o corpo se encontra maduro. Por que vangloriar os corpos mortos lhe parecem tão certamente, mais fácil do que amá-los enquanto vivos? Não seria mais adorável os amá-los e oferecer sentimentos enquanto a carne é vistosa?

Percebi que a vida tem mais valor quando morta… Vira bronze, vira prata, vira ouro, é fortuna.

Percebi que a morte se torna um convite para a humanidade fazer do corpo morto… Um ser vivo.

Imprimir

Compartilhe:

Foto de perfil de Myra Soarys

Myra Soarys

Intensa. Provocadora e sabe o quer. Adora Literatura de cordel e música boa. É pintora e desenhista. De personalidade forte. Um pouco impaciente. Expõe seus pensamentos. Os mais sadios e os mais doentios.

Pular para a barra de ferramentas