Eternidade: a inutilidade do infinito

A vida sempre foi um degrau em que, a maioria, passando sobre ela, não soube resolver uma equação de tempo. Ali se encontra o vazio de muitas faltas de soma, manuseando variados resultados. Todavia, evidenciando-se falhos quando o Homem não aproveita a sua realização no hoje.

O ponto de nitidez e realismo é a morte, não há quem não queira viver eternamente, isso é obvio. No entanto, o ser humano nasceu incapaz de sugar o infinito, há um despreparo para viver eternamente, por quê?

O deixar pra amanhã, hoje, é deprimente. Temos que concordar que muitos seres humanos despregam o hoje como um dia não limitante e, de certa forma, conduzindo muitos a retardar os seus projetos, sonhos e relações. Tudo é verificado, mas não é posto em prática, quantas vezes você, sim, você, meu caro leitor, deixou para um amanhã algo que possivelmente poderia ser feito hoje, demonstrado hoje? Posso afirmar que inúmeras vezes.

O ponto a criticar é que a eternidade seria mais uma desculpa para retroceder as suas projeções. Poderia amar hoje mais intensamente, de forma mais delirante, mais envolvida; porém, pensaria, o amanhã existirá, então por que apressar no hoje? Levaria essa inverdade para o limite humano e o desprego de laços e vontades reais.

Ops! Esqueci-me de amar minha família hoje, não terei problemas de amar amanhã ou daqui a dois dias, uma semana, um ano, eles são eternos e os dias infinitos. Ops! Não desengavetei meus sonhos, deixarei para depois, depois e o depois nunca se construirá.

Você vê? Percebe que a eternidade unicamente faz adiar? É tudo infinito e o ser humano não teme o amanhã como o devido dia de resolução das suas vontades.

Talvez, sendo um soco ou não, um fim ou início para outros, a morte é benigna, é um passo para um campo de descanso. A morte nos ensina a amar hoje, a cuidar hoje, a projetar hoje suas vontades e sonhos. Deixar para amanhã é ser tardio, é ser desleixado e despreocupado com o próximo e consigo mesmo. A morte nos dá a tese única de que, ou se demonstra afeto ou interesse de vida e suas realizações hoje, ou, do contrário se tornará um ser limitado conduzido unicamente no amanhã.

Cuide-se para morrer bem, pois viver mal… Isso sim é eterno.

Imprimir

Compartilhe:

Foto de perfil de Myra Soarys

Myra Soarys

Intensa. Provocadora e sabe o quer. Adora Literatura de cordel e música boa. É pintora e desenhista. De personalidade forte. Um pouco impaciente. Expõe seus pensamentos. Os mais sadios e os mais doentios.

Pular para a barra de ferramentas