Censura

E vou crescendo. Eu cresço, não fisicamente, mas internamente. Vou fisgando que ao longo dessa trilha vou me despertando para algo maior todos os dias e percebendo o quanto não quero me encaixar a absolutamente nada.

Calma! Não venha me julgar como o louco, ou se sou o que importa? O respeito acima de tudo. O respeito, meu caro amigo(a), é importantíssimo, mas que no mundo de hoje é crítico e anda escasso, infelizmente.

Não estou desejando ser uma pessoa única que discorda de tudo e todos, mas sim, ser alguém que vive por viver sem se importar com as vistas tortas miradas em direção do meu subconsciente.

Porque é forçar-se demais e não me embalo em ideias limitadas em pensamentos traficados. Embalo-me em vícios gostosos que me fazem enfrentar levemente a vida sem ser censurada pelas minhas opiniões nuas e sem vergonhas.

Porque é isso que me adoece como ser humano. Perceber quantas pessoas envolvem-se numa conspiração, numa quadrilha de pensamentos baseados somente nas próprias verdades. Só existem suas verdades, seja qual ela for, uma verdade pessoal, ou uma verdade mastigada pela sociedade, uma verdade que já se encontra dissaborosa, triturada pela dentadura humana.

Isso me dói, porque pessoas assim não vivem, se vivem, vivem pelos outros, vivem semeando-se no jardim do próximo e da pior maneira. Vivem sendo regados exaustivamente e se afogam. Porque excesso mata e te enterra, te limita.

Quanto mais desperto, mais eu percebo o quanto sou um ser circular, e que esse mundo cheio de pessoas quadradas não me fazem ter algum encaixe.

E você é um grande círculo ou um pequeno quadrado?

Imprimir

Compartilhe:

Foto de perfil de Myra Soarys

Myra Soarys

Intensa. Provocadora e sabe o quer. Adora Literatura de cordel e música boa. É pintora e desenhista. De personalidade forte. Um pouco impaciente. Expõe seus pensamentos. Os mais sadios e os mais doentios.

Pular para a barra de ferramentas