Assédio dos medos

O medo abusa, arrepia, desgraça, se anuncia, faz quebrar sua realidade e faz manifestar-se no mundo dele. O medo te assedia, te olha com olhos de desgraça, te vigia.

Em qualquer esquina, em qualquer dobra da sua vida, o medo te encontra. Quando não sabemos desviar dele, ele nos penetra a carne, mastigando nossa sanidade, fazendo de nós sua cartela de apostas favorita na qual o medo sabe administrar muito bem.

O medo te cerca, e você fica refém das suas circunstâncias. Tentar correr, distanciar-se dele, para você é difícil, pois seus ossos fracos não lhe permitem fugir. O corpo não se compromete a pertencer aos seus medos, porém ele te hipnotiza, fazendo ser seu atrito diário.

O medo te alisa, te sussurra, te prende. Fixa-te nos olhos, rasgando sua paz.

O medo é armado, e te faz sangrar cada dia. E você luta contra ele fingindo ser mais forte, fazendo curativos nos seus ferimentos pra tentar seguir em diante.

Você luta, eu também luto, pois somos desafiados pelo mesmo inimigo. Meus olhos doem de tanto chorar, e imagino as dores do outros por encontrarem-se cercados dos mesmos medos que os meus.

Nunca estamos no mundo sozinho, sempre estamos cercados dos mesmos assédios. Alguns sabem se rebelar e prendê-los.

Outros? Você, eu, sabemos ou tentamos lidar com esse encontro diário nas nossas esquinas escuras ou vamos desfiando-nos. Virando pequenos retalhos de gente desajustados deste mundo.

Saber entrar em fuga dessa relação é desafiante. Fazer as malas é escolha sua. Porém, sabemos que o medo não é utópico e ele se constrói dentro de você. Destruir a morada que se faz presente dentro de você é o primeiro passo para começar viver a vida sem abusos.

Imprimir

Compartilhe:

Foto de perfil de Myra Soarys

Myra Soarys

Intensa. Provocadora e sabe o quer. Adora Literatura de cordel e música boa. É pintora e desenhista. De personalidade forte. Um pouco impaciente. Expõe seus pensamentos. Os mais sadios e os mais doentios.

Pular para a barra de ferramentas