Arte – remédio sem dose

Porões humanos existem, existem pra se esconder. São vários pensamentos querendo manipular o porão, manipulá-lo para o concerto ou para a desordem, alguns querendo se sujar inteiramente, outros desejando uma limpeza, uma ensaboada interna.
 
Dedos agitados, descontrolados, fazendo curvas no corpo esbranquiçado sem alma chamado papel. Arte é infinita, é a criação das gangues surreais do interno. Arte é infinitos sentidos, é a cura sem doses perversas de medicamentos, arte é medicação aceitável ao corpo e mente.
 
Existe um paraíso infernal dentro de um esquizofrênico. Talvez seja o presságio da dor imantada por dentro, dar dor que não vemos. Há coisas que nascem, outras crescem dentro do mesmo. Que mente é essa? Um dia se resolve ser o sol, outra uma lua, ou quem sabe um eclipse mental. É uma colisão entre o real e a loucura não planejada. Esquizofrenia é o mundo das variações dos pensamentos, ela é mar, oceano, se afoga e se salva de si mesma todos os dias, se rabisca e cativa o papel tentando se desviar dessa loucura de mundo interno expansivo.
 
Desviar-se de remédios não é fácil. É como se sobrevivêssemos a nós mesmo todos os dias de guerras de batalhas de crimes profundos. Arte é poder se sentir seguro, é poder atravessar a rua sem ser atropelado por um carro descontrolado, ou por um corpo mental em meio a um tiroteio, mas se sentir protegido com o colete da arte. 
 
Entre litros de felicidade existe um mergulho na tristeza imensa, tudo no mesmo corpo. Isso é abalador. Essa variação de humor capturando os pesadelos abstratos deste mundo, isso os aflige, assim destruindo sua realidade. A arte trabalha a libertação dos males internos. E faz essas portas abrirem, as janelas se mostram, mas amplas, e os cômodos da alma se encontram, mas arrumados, mas organizados. A casa humana esquizofrênica se liberta artisticamente. Assim voltando ao real sentido da vida, libertação mental…
Imprimir

Compartilhe:

Foto de perfil de Myra Soarys

Myra Soarys

Intensa. Provocadora e sabe o quer. Adora Literatura de cordel e música boa. É pintora e desenhista. De personalidade forte. Um pouco impaciente. Expõe seus pensamentos. Os mais sadios e os mais doentios.

Pular para a barra de ferramentas