A Educação como força motriz da Produtividade

Sabe-se que, no limiar do atual século, a palavra EDUCAÇÃO tem sido merecedora de atenção especial por todos os setores da sociedade. Neste sentido, diversas instituições têm buscado estabelecer relações entre o cenário educacional de muitos países, não necessariamente utilizando seus respectivos níveis de desenvolvimento como critério, no intuito de preconizar caminhos socioeconômicos a serem escolhidos – avaliação possível apenas a partir do reconhecimento do elo selado entre Educação e Produtividade.

Melhorando a qualidade, automaticamente você estará melhorando a produtividade. William Edwards Deming.

Como indica a frase acima, há uma indissolúvel ligação entre a estirpe de uma atividade e os resultados dela oriundos. Em síntese, é essa a visão preponderante sempre que associamos o cenário educacional de uma nação a seu grau de eficiência produtiva, levando em conta particularidades que possuem grande significado quando estratégias desenvolvimentistas são pensadas.

O simples ato de prestar atenção positiva às pessoas tem muito a ver com produtividade. Thomas J. Peters.

Dessa forma, compreende-se que, por estarem no mesmo patamar de alcance social, o panorama educacional de determinado país jamais pode ser dissociado de impactos produtivos, os quais tendem a continuar sendo aperfeiçoados por estratégias capazes de valorizar as habilidades individuais almejando a qualificação progressiva.

Imprimir

Compartilhe:

Foto de perfil de Renan Schwingel

Renan Schwingel

Nascido em 2001, atualmente cursa o Ensino Médio no SENAI Concórdia. Tem expressado seu interesse pelo aprimoramento da causa educacional ao atuar como Jovem Embaixador pela FIESC desde 2015, sempre acreditando no poder da liderança e da reflexão.

Pular para a barra de ferramentas